Dicas

O que é um hidrômetro

O hidrômetro é um aparelho utilizado para medir e registrar o volume de água fornecido ao imóvel, permitindo ao cliente o melhor controle do seu consumo.

Caixa-padrão para o hidrômetro

Ao fazer a solicitação de ligação de água junto à Companhia Águas de Joinville, o usuário receberá uma CAIXA-PADRÃO, que é composta pelos itens da figura abaixo:

A caixa-padrão é composta pela caixa, acoplador, plug e tampa.
A caixa-padrão é composta pela caixa, acoplador, plug e tampa.

Vantagens:
– Diminuição dos riscos de vazamentos;
– Facilidade na detecção de possíveis vazamentos;
– Facilidade de manutenção e leitura pelos funcionários da Companhia Águas de Joinville;
– Proteção contra vandalismos;
– Mantém preservada a qualidade da água tratada pela Companhia Águas de Joinville.

Saiba como padronizar a sua ligação de água.

Importante:
Você é responsável por ele: Um hidrômetro bem conservado e com lacre intacto registra com segurança a quantidade de água que você consumiu.
O hidrômetro é de propriedade da Companhia Águas de Joinville, mas a conservação e guarda do aparelho são de sua inteira responsabilidade.
Caso ocorra qualquer problema com o hidrômetro do seu imóvel, comunique imediatamente a Companhia Águas de Joinville pelo telefone 115.

Onde instalar seu hidrômetro

O hidrômetro deve ficar em local de fácil acesso para leitura ou manutenção. O ideal é que ele fique protegido dentro de uma caixa-padrão.

Facilite o acesso ao hidrômetro

Facilite o acesso ao hidrômetro, pois todos os meses nosso leiturista passará em seu imóvel para anotar o consumo nele registrado. Em casos de impossibilidade de leitura ou de manutenção do hidrômetro ou cavalete, a Águas de Joinville pode solicitar o cumprimento da resolução da agência reguladora que obriga o cliente a padronizar a ligação de água, nos casos mencionados neste item, no prazo de até 120 dias após o recebimento da notificação. 

Vazamentos – Saiba como identificá-los

  • Clique aqui para ser direcionado à página sobre como identificar vazamentos internos.

Como controlar o seu consumo

Leitura do hidrômetro:
• No hidrômetro deve-se ler os algarismos pretos e desprezar os outros. Exemplo: a leitura do mostrador é de 4.933 metros cúbicos (m³).
Atenção: Cada metro cúbico (m³) corresponde a 1.000 litros.

A leitura anterior pode ser vista na sua fatura do mês anterior.
A leitura anterior pode ser vista na sua fatura do mês anterior.

Sugestão de tabela para controle de consumo:
• Leia periodicamente seu hidrômetro, anotando o número indicado e a data.
• Calcule seu consumo pela diferença entre duas leituras.
• Calcule seu consumo médio diário dividindo o consumo do período pelo número de dias correspondentes.

Limpeza da caixa-d’água

A água que a Companhia Águas de Joinville fornece ao município passa por um rigoroso controle de qualidade. Depois de ser devidamente tratada e analisada, ela só chega à sua casa se for considerada boa para consumo. Porém, até mesmo em sua caixa-d’água, podem ocorrer problemas de entrada de impurezas que afetam a qualidade da água. Por isso, limpe-a, no mínimo, a cada seis (6) meses.

São procedimentos simples, com os quais você estará garantindo a sua saúde e a de seus familiares. Para reservar maior volume de água em sua casa, instale mais uma caixa-d’água ou troque a que você tem por uma maior. Aumentando a reserva, você terá água por um período de tempo bem maior.

Abaixo dicas de como limpar corretamente:

  1. Feche o registro de entrada da água (cavalete), ou amarre a boia, um dia antes da lavagem. Assim, você vai consumir a água da caixa, deixando somente o necessário para a limpeza, evitando o desperdício;
  2. Tampe a saída da água da caixa com um pano ou esponja;
  3. Esfregue as paredes e o fundo da caixa com escova ou esponja. Não use sabão, detergente ou escovas de aço;
  4. Enxague as paredes da caixa com a água que sobrou nela;
  5. Retire toda a sujeira e a água da caixa usando pá, baldes e panos;
  6. Abra o registro ou solte a boia e deixe a água entrar na caixa até enchê-la. Acrescente, então, um litro de água sanitária para cada 1.000 litros de água;
  7. Não use essa água por duas (2) horas. Evite que as crianças tenham qualquer contato com essa água;
  8. Após duas horas, feche novamente o registro ou amarre a boia, impedindo que a água entre na caixa;
  9. Abra as torneiras e dê descargas até esvaziar totalmente a caixa-d’água. Essa água servirá para desinfetar os canos de sua casa;
  10. Agora, a caixa-d’água está limpa. Lave também a tampa da caixa e anote a data da limpeza;
  11. Abra o registro ou solte a boia. Pronto! Essa água já pode ser usada.

Dimensionamento da caixa-d’água

De acordo com a Lei municipal 2260 de 1988, as edificações em alvenaria, independente do uso a que se destinem, deverão possuir, obrigatoriamente, pelo menos um reservatório d’água próprio. A Lei informa o volume de acordo com o tamanho da construção. A Companhia, contudo, indica o cálculo condizente com o consumo dos usuários da unidade.
O cálculo deve ser de 200 litros por usuário por dia. Assim, numa residência com 4 pessoas, o volume mínimo da caixa-d’água deve ser de 800 litros.
O cálculo pode variar dependendo do uso da construção. Sugere-se que o dimensionamento siga manuais de engenharia ou arquitetura.

Como economizar água

  • Não permaneça por muito tempo com o chuveiro aberto;
  • Não esqueça torneiras abertas ou pingando;
  • Evite regar jardins em demasia;
  • Evite lavar as calçadas utilizando mangueira ou jato. Varra ou esfregue a sujeira e utilize o balde para lavar;
  • Não encha piscinas constantemente;
  • Evite lavar o carro com frequência. Sempre que necessário, utilize baldes;
  • Verifique se existem vazamentos em suas instalações.

O que fazer com o óleo utilizado na fritura de alimentos?

A Companhia Águas de Joinville recomenda que o óleo utilizado em frituras de alimentos não seja jogado nas pias, ralos ou vasos sanitários dos imóveis. A melhor prática é o reúso. O óleo de cozinha jogado na tubulação de esgoto, ainda que nas Estações de Tratamento de Esgoto ele seja tratado sem problemas, pode causar entupimentos, refluxo de esgoto e até rompimentos nas redes de coleta, além de onerar o custo operacional do sistema.

É para minimizar tais riscos que a Companhia Águas de Joinville recomenda as seguintes formas de coleta do óleo de cozinha:

  • A instalação de caixas retentoras de gordura nas residências, para coletar o resíduos que porventura entrem no ralo da pia.
  • Que o óleo utilizado seja depositado em garrafas plásticas PET de refrigerantes e colocado ao lado do material reciclável no dia da coleta seletiva do seu bairro.

Uso correto das redes de esgotos

Muita gente ainda não sabe a diferença que existe entre água pluvial (de chuva) e água servida (esgoto), e acabam ligando a canalização de água de chuva na de esgoto.

Isto causa grandes danos, como o entupimento das redes de esgotos, custo elevado em serviços de manutenção, retorno de esgoto para dentro de casa ou sobre as calçadas e, ainda, danos causados em imóveis situados em partes mais baixas da cidade.

A Lei determina: “É proibido o despejo de águas pluviais na canalização de esgotos sanitários, bem como a interligação dos dois sistemas”.

 

Como fazer a ligação interna de esgoto?

A ligação interna de esgoto é de responsabilidade do proprietário do imóvel e deve seguir a legislação vigente que determina que “é proibido o despejo de águas pluviais na canalização de esgotos sanitários, bem como a interligação dos dois sistemas”.

Por isso, a água de piscinas, calhas e drenagem do terreno devem ser destinadas à tubulação de drenagem de água da chuva (pluvial).
Já a tubulação que recolhe a água servida (esgoto) proveniente de ralos de chuveiros, vasos sanitários e pias de banheiros, da área da churrasqueira/lazer e de cozinhas deve ser conectada à rede coletora de esgoto instalada pela Companhia até a testada do terreno. Saiba como solicitar ligação nova de esgoto.

Importante: A tubulação do esgoto proveniente de pias que ficam na cozinha ou na área da churrasqueira ou lazer deve passar por uma caixa retentora de gordura (caixa de gordura) antes de ser conectada ao restante da ligação interna. A água proveniente de outras áreas não deve passar pela caixa de gordura.

Principais pontos da rede interna de esgoto.

Em amarelo: A, B, C e D são as caixas de passagem da rede de esgoto. Elas servem para facilitar a manutenção e devem ser instaladas sempre que houver conexão de um novo ponto de entrada de esgoto ou quando for necessário mudar a direção da tubulação.

Em vermelho: E é a caixa retentora de gordura. Ela precisa ser limpa sempre que necessário, pois ajuda a evitar entupimentos tanto na rede interna quando na rua. Os resíduos retirados durante a limpeza devem ser jogados no lixo comum.

Em azul: F e G são as caixas de passagem da rede de drenagem. A tubulação da rede de drenagem e de esgoto devem ser totalmente independentes.

Em rosa: H é a rede coletora de esgoto. De menor diâmetro, ela recebe apenas esgoto proveniente de ralos de chuveiros, vaso sanitários e de pias que ficam na cozinha ou na área da churrasqueira ou lazer.

Em verde: I é a rede de drenagem pluvial. Geralmente é feita de concreto e leva a água da chuva diretamente ao rio ou riacho mais próximo. Por isso, não deve receber esgoto.

 

A destinação do lixo

O lançamento de lixo, tais como: absorventes, preservativos, brinquedos, garrafas, latas, trapos, etc. não devem ser lançados nas redes de esgoto, pois causam entupimentos e obstrução, podendo ocorrer retorno de esgoto para dentro das residências ou sobre calçadas.

Doenças de veiculação hídrica

A água, tão necessária à vida do homem, pode ser também responsável por muitas doenças, denominadas doenças de veiculação hídrica. As principais são:

  • Amebíase;
  • Giardíase;
  • Gastroenterite;
  • Febres tifóide e paratifóide;
  • Hepatite infecciosa;
  • Cólera.

Indiretamente, a água pode ainda estar ligada à transmissão de algumas verminoses, como esquistossomose, ascaridíase, teníase, oxiuríase e ancilostomíase.

Além disso, a água pode provocar alterações na saúde, caso não possua certos minerais na dose necessária. O índice de cáries dentárias pode ser reduzido com a adição do flúor na água. Também pode ocorrer intoxicação se a água utilizada contiver algum produto tóxico, como, o arsênico ou metais pesados.

Para evitar os males que podem ser veiculados pela água destinada ao consumo, é necessário que ela seja sempre convenientemente tratada.

Potabilidade da água e suas alterações

A água potável, aquela que pode ser consumida sem risco para a saúde, tem de atender a determinados requisitos de natureza física, química e biológica.

Requisitos físicos da potabilidade

Os requisitos físicos para que a água seja considerada potável são:

  • Ser inodora, isto é, sem cheiro;
  • Ser incolor, isto é, sem cor, quando em pequena quantidade, e azulada, quando em grande quantidade;
  • Ter sabor indefinível, mas que permite distingui-la de qualquer outro líquido;
  • Ser fresca, sensação que depende da temperatura ambiente.

Importante: alterações físicas da potabilidade da água podem ocorrer devido à poluição. Esta pode ser notada no cheiro, na limpeza, na cor ou no sabor da água:

  • As alterações de cheiro podem ser conseqüência da decomposição da matéria orgânica (isto é, animais ou plantas apodrecidas), lixo, esgoto, óleo queimado, carvão, detergentes e desinfetantes (como creolina) que caem na água;
  • A alteração na limpeza da água é chamada de turvação ou turbidez. Quando a água é turva, pode conter argila, algas, matéria orgânica etc.;

Requisitos químicos da potabilidade

Para que a água seja potável do ponto de vista químico, ela necessita:

  • Ser arejada, isto é, conter certa quantidade de oxigênio;
    Conter sais minerais, como cálcio e magnésio, em pequena quantidade;
  • Não conter nenhum sal tóxico.

Importante: Alterações químicas da potabilidade podem ocorrer em razão de dois fatores:

  • Presença de elementos estranhos ou tóxicos como o arsênico, o chumbo, o cádmio e o mercúrio (metais pesados);
  • Excesso ou ausência de cálcio ou magnésio: sais minerais que devem estar presentes em pequena quantidade.

Requisitos biológicos da potabilidade

Biologicamente, a água não pode conter organismos patogênicos, ou seja, causadores de doenças.

Importante: A alteração biológica da potabilidade da água, denominada contaminação, é causada pela presença de agentes patogênicos vivos, isto é, vermes, bactérias etc. A água contaminada não é potável e, portanto, não deve ser usada.
ATENÇÃO: Nem todas as águas são potáveis, mesmo que à primeira vista pareçam puras. Por isso, deve-se ter muito cuidado com a água de cisternas, minas, nascentes, etc. A água fornecida pela Companhia Águas de Joinville é tratada e preenche todos os requisitos de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde.