Dragagem da ETE Jarivatuba melhora tratamento de esgoto em Joinville

Publicada em 26/02/2018 às 18:38
Relacionado a:

A remoção do lodo das lagoas de estabilização torna o tratamento do esgoto mais eficiente A remoção do lodo das lagoas de estabilização torna o tratamento do esgoto mais eficiente - Foto: ACOM Águas de Joinville
A remoção do lodo das lagoas de estabilização torna o tratamento do esgoto mais eficiente – Foto: ACOM Águas de Joinville

 

Otimização do tratamento de esgoto, efluente mais limpo no rio e minimização do odor: este é o resultado do processo de dragagem das lagoas da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Jarivatuba, iniciado no mês de outubro de 2017 e finalizado na semana passada.

A tecnologia empregada na remoção do lodo, que faz uso de bags (bolsas) de material têxtil permeável, envolve pouca infraestrutura, tem fácil instalação e operação e exige pouca manutenção. A dragagem teve um investimento de R$ 2,7 milhões, valor que engloba a formulação do projeto executivo, obras civis, operação e montagem dos bags.

“Retirando o lodo acumulado nas lagoas de estabilização, aumenta-se o volume útil necessário para o tratamento do esgoto bruto, e também o tempo do esgoto dentro das lagoas, melhorando a eficiência de tratamento”, explica Janine Smania Alano, engenheira sanitarista e ambiental da Companhia Águas de Joinville. “A expectativa é que um efluente mais limpo seja lançado no rio”, completa. Além disso, o procedimento reduz a emissão do mau cheiro característico da estação, decorrente da ação dos micro-organismos em contato com o esgoto que chega na ETE.

O processo de dragagem consiste na retirada do lodo de dentro das lagoas que, por bombeamento, é levado até um conjunto de bags, localizado em uma área adjacente. Uma vez nos bags, a parte líquida é drenada, de forma clarificada, e a parte sólida é retida. Ao longo do tempo, ocorre a desidratação do material contido. A água drenada é levada novamente para as lagoas, sem o resíduo do lodo. Quanto à parte sólida, alguns estudos estão sendo feitos para sua destinação.

A dragagem foi realizada paralelamente à construção da nova ETE Jarivatuba que, após entrar em operação, permitirá a desativação das lagoas de estabilização. A nova unidade, uma das mais modernas da América Latina, terá capacidade de tratamento triplicada em relação à atual e beneficiará bairros da área central e da zona sul de Joinville.